quinta-feira, 21 de julho de 2011

AVALIAÇÃO PSICOPEDAGÓGICA DO DESENHO INFANTIL

                               
Em toda a história da humanidade é possível perceber o desenho como importante forma de comunicação entre os indivíduos. Eles podem relatar simbolicamente acontecimentos, sentimentos e pensamentos.
Muito antes de estar alfabetizada, a criança é capaz de utilizar-se desse meio para interagir com o meio no qual está inserida. Em condições normais, toda criança tende a rabiscar em qualquer superfície a que tenha acesso, seja folhas de papel em branco, documentos, paredes, móveis, etc.
Embora o desenho infantil tenda a ser visto, principalmente por pais ou responsáveis, como algo “lindo”, é preciso que se peça, sempre que possível, para que a criança verbalize aquilo que retratou em seu desenho, pois muitos conflitos, pensamentos e atitudes negativas são expostos nestes grafismos e surge aí, um bom momento para resolvê-los.
Para Silva, “o desenho é uma das mais autênticas expressões do testando, uma vez que capta, em particular, conteúdos inconscientes, sem a sua intervenção”. Para a autora, mesmo quando está consciente de que algo do seu Eu será conhecido, não é possível controlar o que se está expondo, embora uma avaliação mais precisa de sentido só seja possível através da fala do examinado, “no seu sincero propósito de colaborar com o processo”.
Para buscar uma melhor compreensão acerca desse processo de avaliação psicopedagógica através do simbolismo expresso no desenho infantil, foi realizada uma experiência com Ana1, 5 anos. Utilizamos o desenho direcionado, com o tema família, e a verbalização posterior sobre o mesmo como principais recursos para compreender seu significado para a criança participante do processo.
1 Nome fictício.


(continua...)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário